Aromaterapia: Óleo Essencial de Menta Piperita

 

 Foto: acervo pessoal

A aromaterapia é o conjunto de técnicas que objetiva usar os óleos essenciais (OE) para obter efeitos físicos e/ou emocionais. Diversos são os óleos essenciais utilizados pela aromaterapia. Neste post abordaremos o OE de Menta e alguns de seus benefícios. 

Esse óleo essencial é extraído da planta inteira Mentha piperita. Possui cheiro mentolado e picante, típico de hortelã. É um óleo claro, transparente ou levemente amarelado. Possui diversas qualidades, destacando-se seu poder antiinflamatório. 

Pode ser aplicado no corpo, em compressa fria para reduzir inchaços no tratamento de traumas físicos. Nas massagens corporais, promove analgesia, revigora e melhora o desempenho muscular. 

Na halitose ou em casos de náuseas, é empregado com gargarejos. 

Alivia cefaléia com auxílio de uma massagem suave nas têmporas.

Nos cabelos, auxilia na regulação da produção sebácea e da caspa. 

Nos tratamentos faciais, pode ser utilizado como compressa fria, induzindo fechamento dos poros e promovendo agradável frescor.

No sistema respiratório, atua como expectorante. Para esse fim, podem ser empregadas técnicas de massagem no tórax e inalação. Para a massagem torácica, o OE deve ser associado a um óleo vegetal carreador (óleo extra virgem prensado a frio, p.ex. óleo de girassol). A proporção varia, podendo ser de 40 gotas do OE para 100 ml de óleo vegetal para indivíduos adultos. 

Na inalação, o OE pode ser pingado nas mãos ou num lenço (1 a 3 gotas). A pessoa deve inspirar profundamente o OE, reter o ar por alguns segundos e expirar lentamente, exalando pela boca.

Pode-se também realizar a inalação com o auxílio de uma bacia. Para isso, coloca-se água morna num recipiente com 3 gotas do OE. A pessoa deve permanecer inalando o vapor, tendo a cabeça coberta com uma toalha limpa. Ela deve manter os olhos fechados durante o procedimento.

O OE de Menta também pode ser utilizado como aromatizador spray, diluído em água destilada e álcool de cereais ou num difusor apropriado.

Seu aroma energizante age positivamente sobre o esgotamento físico e mental.

Todavia, deve-se atentar a algumas precauções, como não usar em regiões próxima aos olhos, pois pode causar ardência ocular. Em inalação com toalha, manter os olhos fechados. Além disso, evitar usar à noite, devido a sua característica estimulante. Não usar em crianças menores que 5 anos e em alérgicos a Mentha piperita.

Referências:
Aromaterapia: o poder das plantas e dos óleos essenciais - Alexsandra Nascimento e Ana C. K. Prade. Publicação do ObservaPICS, n. 2, 2020. / Técnicas de aplicação de óleos essenciais: terapias de saúde e beleza. Fernando Amaral. Cengage Learning, 2015.

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DOSHA KAPHA: funções, características e desarmonias

DOSHA KAPHA: FORMAS DE HARMONIZAÇÃO

Descubra a Abhyanga - A tradicional massagem do Ayurveda